quinta-feira, 4 de agosto de 2011

O Mundo Erveiro nas Sociedades Tradicionais

Trabalhar com ervas é um imenso mar de conhecimento e esta presente na sabedoria popular, dos conhecidos sábios da natureza, conhecimento vindo de geração a geração por gente afastada do meio urbano e que hoje promove fascínio em estudiosos e grandes empresas farmacéuticas. Com o distanciamento dos conhecimentos da mãe Natureza levou a humanidade a acreditar que tudo nasce no estilo fast-food e com isto começou a fase do esquecimento sobre os caminhos da tradição.

A vida não é pronta, ela é construída. A saúde, a família, o trabalho e a busca da essência não estão prontos como muitos desejam.

A magia está em nós enquanto somos capazes de construir. Neste caminho os antigos povos buscaram na Natureza a sabedoria que ela tem para ensinar, na observação dos ciclos, do espiritual até o benefício da saúde do corpo.

Encontramos na medicina erveira algumas formas na criação de remédios naturais, segue abaixo formas de trabalhar os princípios da fitoterapia.
FORMAS DE PREPARAÇÃO

DECOCÇÃO  -  É uma solução obtida através da fervura das ervas em água ou vinho, como se fosse uma sopa, e depois retira-se os sedimentos. Assim temos uma solução medicinal. Adecocção pode ser usada por via oral, cataplasma (aplicado no local) ou usar como uma sopa, e tomar como um chá.

PÓ  -  A erva é moída e transformada em pó. Há duas maneiras para seu uso: via oral ou aplicada externamente.

PÍLULAS  -  A partir do pó ou extrato seco, só que as pílulas são misturadas com água, mel, pasta, farinha, vinho ou vinagre.

EXTRATO LÍQUIDO - As ervas são solvidas em uma solução especial, aquece a uma temperatura baixa e destila-se o preparado, sob a forma de álcool. Um miligrama corresponde a 1 gr de extrato.

EXTRATO SECO  -  Igual ao extrato líquido, só que retira-se o solvente, secando-o. Uma grama de extrato seco equivale a mais ou menos cinco gramas da erva. São utilizados para cápsulas ou tabletes.

UNGÜENTO -  Utiliza-se do extrato seco ou pó, que misturado a um veículo (vaselina/ outro creme), é aplicado sobre a pele.

EMPLASTO  -  Utiliza-se das ervas maceradas em um pano e aplicado sobre a pele.

INJEÇÃO  -  Pode ser muscular ou endovenosa.

XAROPE  -  São ingeridos por via oral. O mel é o veículo mais usado.

LICORES  -  Igual ou semelhante às garrafadas. Coloca-se a planta mergulhada no álcool ou no vinho.


PREPARAÇÕES DOS MEDICAMENTOS

DECOCÇÃO
Processo indicado para cascas, sementes e frutas duras. Colocadas em uma panela contendo água, após a fervura, abaixar o fogo e mantê-la durante quinze minutos. Filtrar e guardar em refrigerador. Pode durar aproximadamente dois dias.

INFUSÃO
As ervas devem ser amassadas em um pilão. A preparação é simples. O objetivo é obter uma bebida mais leve que a decocção, mas igualmente eficaz. A infusão é utilizada para aquelas plantas cujo o cozimento prolongado pode prejudicá-las. Coloca-se as ervas em um recipiente e despeja-se água fervendo sobre a planta, tampe durante dez minutos, filtre e beba morna. Algumas vezes para se obter uma infusão, pode utilizar-se de água, vinho, vinagre, álcool ou leite.

MACERAÇÃO
Para retirar todos os princípios de uma ou mais plantas, colocam-se as mesmas em uma dose estabelecida de água fria, álcool, vinagre ou vinho, e se deixa macerar por algumas horas, ou um dia, ou semanas. Também neste caso, após haver coado ou filtrado o líquido, deve-se espremer o resíduo no coador ou na tela.

CATAPLASMA
Trata-se de envolver a parte lesada do corpo em uma massa ou pano, o remédio é empregado para curar as inflamações da pele, inchaços, contusões, feridas, chagas, ulcerações e dores reumáticas. Para preparar o cataplasma, a erva deve ter passada por uma infusão ou decocção com pouca água, este cataplasma pode ser aplicado quente ou frio. Para que a infusão vire uma massa, é preciso colocar um veículo, que pode ser argila ou farinha, no caso de feridas, coloca-se uma bandagem e depois o cataplasma.

CREME
Mais utilizado na cosmética do que em tratamentos alternativos, os cremes são fáceis defazer e dão ótimos resultados. Podemos preparar um creme da seguinte maneira: coloca-se lanette (cera utilizada como base para cremes) em banho-maria até que derreta, em seguida deve ser misturada aos óleos, decocções ou infusões das ervas indicadas para os fins desejados. Além disso, vale a pena acrescentar ao conteúdo algum tipo de conservante natural, como arovit ou própolis (ambos vendidos em farmácia). Mesmo assim os cremes devem ser mantidos em refrigeração.


TINTURA MÃE
É a maceração de folhas ou outras partes da planta, que se faz a frio em álcool de cereais (milho ou uva). As tinturas mãe extraem as propriedades das ervas com grande eficiência e concentração, mantendo a conservação por um longo período (em média dois anos). Para prepara-la basta misturar três partes de ervas com sete de álcool de cereais, ou, seis partes de álcool de cereais e um de água destilada e três partes de ervas. Depois deixe esta mistura macerar por, no mínimo, trinta dias em um vidro escuro em local seco e escuro. Após trinta dias devemos filtrar.

POMADAS
As pomadas em geral podem ser feitas a partir de tinturas de qualquer erva. Para isso deve-se misturar partes iguais da tintura desejada com vaselina e lanolina, nesta ordem, na proporção de uma medida de tintura para uma de vaselina e uma de lanolina. A pomada chega a durar de um a dois anos, no entanto, para conserva-las o importante é manusear o conteúdo sempre com uma espátula, evitando o contato com as mãos.

UNGÜENTOS
É preparado misturando-se as ervas ou suco de ervas com uma substância gordurosa (gordura hidrogenada). Habitualmente empregua-se a vaselina ou lanolina. Em primeiro lugar, deve-se socar a erva escolhida, em seguida mistura-la a gordura ao vaselina, deixar então o conteúdo em banho-maria por aproximadamente duas horas. A mistura vai estar pronta quando estiver com aparência homogênea.

VINHO MEDICINAL
Costumeiramente  é  diurético  ou  estomáquico.  Vertem-se  as  ervas  estabelecidas naturalmente cortadas em pedaços, ou trituradas e esmagadas. Coloca-se no vinho deixando macerar por um certo período de tempo, filtra-se então o vinho.

* Advertimos procurar profissionais da área, nunca se auto-medique!

Att,

Nenhum comentário:

Postar um comentário