quinta-feira, 5 de julho de 2012

Resposta de Repúdio as Organizações Pagãs

O artigo aqui postado reflete apenas uma visão crítica de mundo, feita de modo genérico e sem o objetivo de ofender pessoas ou instituições, bem diferente das pessoas que nos são contrárias, porém continuo acreditando que devemos ter uma maior conscientização e poder colocar nosso ponto de vista, conforme a própria diretoria do ESP - Encontro Social Pagão apontou pelo trecho de Voltaire: "Posso não concordar com uma palavra do que diz, mas defenderei até a morte o seu direito de dizê-lo". Oras se todos temos o direito de concordar ou não, ele deve ao menos ser livre de repúdios e agressões pessoais, isto mostra certa diferença do idealismo para a ação, e estas contradições parecem cercar as atividades de alguns grupos, contudo o nosso foco não é falar mal de pessoas e organizações, mesmo que essas nos causem um certo receio ao se colocarem prontamente em posição de defesa.

Peço minhas sinceras desculpas aos que se sentiram incomodados, mas se posso ainda expressar minha opinião, digo que antes de gastarem energias com reclamações e ferir a opinião alheia deveria de haver pelo menos a reflexão e investir mais tempo resolvendo questões relativas às falhas que podem acontecer ou aconteceram, pois ninguém esta livre delas; os fatos colocados no artigo foram frutos de vivências de pessoas e do que foi mostrado pelos meios de comunicação, se esta ou aquela pessoa faz parte ou participou de alguma instituição não adentramos na questão inquisitória, pois o que devemos concordar é que ninguém em perfeita consciência deseja participar ou estar envolvido com a criminalidade (acho eu).

Em momento algum foi indicado que alguma organização seja a favor da distribuição de drogas, em momento algum foi dito que qualquer instituição incentiva o vandalismo.

Também devo dizer que não precisam pedir minhas desculpas oficialmente, pois já as faço nesse trecho:

AS MINHAS DESCULPAS - "Antes que as pessoas comecem a me odiar por ter escrito este artigo, fazendo seus pré-julgamentos sobre como eu sou um bruxo malvado e tal... risos Digo sinceramente que respeito o idealismo das pessoas que querem juntar outras pessoas, o idealismo é belo..."

Fico apenas pensativo que algumas lideranças pagãs nesse Brasil sejam tão limitadas a entenderem que o melhor modo de obterem o devido respeito seja calando e denegrindo pessoas que escrevam o que elas não querem escutar.

Também lamento o quanto estão aplicados a distorcer palavras por deficiência interpretativa/ ideológica ou por alguma estratégia publicitária, tal como lidam com relação às questões financeiras, pois gostaria mesmo, aliás todos nós pagãos, em ver eventos de qualidade sem custo algum, seja no âmbito coletivo como no particular, pois até onde se sabe muitos eventos são cobrados por instituições que criticam o artigo aqui colocado (?), e todos nos sabemos disso, meio contraditório..., entretanto não vamos criar mais polêmicas sobre estas questões, visto que logo receberemos um informe sobre cronograma e valores, cartões de loja ou consulta particular.

Com relação a iniciações e demonstrações públicas, segue o trecho:

"Também não estou aqui para julgar quem faz rituais ou quem inicia pessoas em praça pública, se o magista inicia é por que tem público para isso, então cada um assuma a responsabilidade de seus atos..."

Coloco aqui uma opinião muito clara que todos os leitores deveriam refletir, qual o real motivo que estas organizações de se sentirem tão ofendidas? Se a preocupação é apenas reunir pessoas, qual o motivo de não levarem às suas sedes? Será que estamos realmente fazendo um bom serviço em nome do paganismo com estas ações?  

Pontos que qualquer um pode avaliar também:

- Não conheço ninguém que jogue tarô, búzios, runas, consulta pessoal que não cobre, principalmente as pessoas mais conhecidas.

- O artigo é sobre os perigos que podem acontecer em eventos abertos e não uma restrição a prática.

- Nenhuma instituição vive de brisa, se você não paga alguém esta pagando e quem será que esta pagando a conta? (mistério).

- Existe maior probabilidade de pessoas com intenções fora de contexto estarem em eventos abertos, pois por lei eles possuem o livre acesso a locais públicos.

- Você organizador de eventos externos, pode garantir a segurança das pessoas? Quais dispositivos legais você possui para conduzir este evento? Tem a licença da prefeitura? Conta com força policial? Esta ciente dos perigos?

- A proibição de bebida alcoólica em propagandas de eventos públicos é comum, aplausos para iniciativa, contudo senão houvessem problemas com isso não haveria essa restrição.

- O fato de você, organizador externo, acreditar no seu trabalho, pode colocar a mão no fogo por outros organizadores e de outras instituições?

- Cada pessoa é livre para ir e vir, bem como o exercício da opinião em blog e comunidades, segue a lei:
Art. 220 (Constituição Federal)
A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição.

- Continuo acreditando que lugares com melhor estrutura possam gerar ferramentas para um melhor aprendizado, que quando cobrado podemos exigir ao menos qualidade.

- A minha opinião não mudou, alias se reforçou quando vejo artigos polêmicos gerarem movimentação contrária, começo a entender que onde existe fumaça tem fogo, e como um bom bruxo prefiro ficar longe das fogueiras! ;-) 

Ninguém esta livre de críticas, contudo as mesmas são importantes para melhorarmos os serviços e gerar reflexão, peço que as instituições revejam os seus processos. As pessoas que desejam um paganismo no mínimo mais sensato, digo que eu continuarei falando sobre temas polêmicos, de forma impessoal, com todo respeito e dedicação que a nossa sociedade ocultista merece.

Agradeço aos leitores que acessam esse canal de informação; o que falta ao nosso movimento pagão nacional são projetos eficazes, agregadores; trabalhos com seriedade e maduros, sem precisar bajular pessoas ou instituições que perdem tempo com picuinhas ao invés de reverem suas falhas, com locais com segundas intenções tendo como base a propaganda "grátis" em cima de uma ação montada no desrespeito a opiniões e politicagem virtual.

Respondido a estas questões continuaremos com nossos artigos.


Sem mais,

Ricardo DRaco